Ortopedia / Cirurgia Ortopédica

Especialidade que trata clínica e cirurgicamente as doenças do aparelho locomotor, tais como lesões ósseas, articulares, dos tendões, musculares e dos nervos periféricos.

A artroscopia, também chamada de cirurgia artroscópica, é um procedimento cirúrgico endoscópico, minimamente invasivo, através do qual se examina e, por vezes, se realiza o tratamento cirúrgico dos danos do interior de uma articulação. É realizada utilizando um artroscópio, que é inserido dentro da articulação através de uma pequena incisão. Os procedimentos artroscópicos podem ser realizados tanto para avaliar como para tratar muitos problemas ortopédicos.

O joelho permite executar movimentos de flexão, extensão e rotação, e os ligamentos cruzados são estruturas ligadas à estabilidade do joelho e que estão localizados no centro da articulação. O ligamento cruzado anterior (LCA) assim como o posterior (LCP), são intra-articulares. 

As principais funções dos ligamentos do joelho são a estabilização, o controlo da cinemática, a prevenção dos deslocamentos  e rotações anormais que podem causar lesões da superfície articular.

Os ligamentos tal como os tendões, são bandas de colagénio denso com  pouco material celular e estão preparados para suportar tensões lineares. Ao contrário dos tendões, os ligamentos possuem fibras não tão paralelas e uma quantidade de elastina superior, podendo suportar alongamentos maiores, sem causar danos à sua estrutura. O LCA e LCP apresentam propriedades viscoelásticas, o que permite  dissipar a energia, regular o seu comprimento e distribuir a carga aplicada.

A incidência deste tipo de lesões tem vindo a aumentar no sexo feminino, crianças, adolescentes, adultos jovens e adultos com idades mais avançadas, devido ao maior envolvimento em práticas desportivas coletivas, que implicam a realização de movimentos de desaceleração brusca e mudanças de direção. As mulheres, devido a particularidades anatómicas, hormonais, entre outras, tornam-se mais suscetíveis em a apresentar lesão do LCA.

No joelho existem diversas estruturas, tais como: os ligamentos colaterais, as cartilagens articulares (articulação), os meniscos e os ligamentos cruzados. Se houver uma lesão no joelho, poderão estar lesionadas, simultaneamente, mais do que uma destas estruturas.

Os meniscos são duas estruturas de fibrocartilagem em forma de meia lua que assentam sobre a tíbia. O menisco externo é chamado de menisco lateral e o menisco interno de menisco medial. Compete aos meniscos funcionar como distribuidores de carga quando caminhamos ou corremos bem como contribuir para a estabilidade do joelho. Se não existissem, a cartilagem articular teria de suportar uma carga demasiado pesada e ficaria danificada.

A artroscopia do joelho está indicada no tratamento de patologias do menisco, lesões das cartilagens articulares, lesões osteocondrais, corpos livres, sinovite em estado avançado, ruturas de ligamentos cruzados e algumas fracturas do prato tibial.

A meniscectomia artroscópica e a ligamentoplastia são dois procedimentos que podem ser feitos conjuntamente.

Ambos os procedimentos estão associados a componentes do joelho, o menisco e os ligamentos. 

A meniscectomia artroscópica está indicada no tratamento de patologias do menisco, lesões das cartilagens articulares, lesões osteocondrais, corpos livres, sinovite em estado avançado, ruturas de ligamentos cruzados e algumas fracturas do prato tibial.

A ligamentoplastia está indicada para o tratamento de lesões nos ligamentos.

A prótese da anca pode ser total, quando se faz a substituição do componente femural e acetabular da articulação ou, parcial, quando se intervém ao nível do fémur.

O objetivo da cirurgia é restabelecer a forma da articulação, devolver-lhe estabilidade e mobilidade e reduzir ao máximo a dor, melhorando a qualidade de vida do paciente.

O desenvolvimento tecnológico dos implantes artificiais permite que estes consigam suportar cada vez mais esforços e mais peso, com uma durabilidade maior.

Os motivos que podem justificar a colocação de uma prótese da anca vão desde a osteoartrite (causa mais comum) à artrite reumatoide, osteonecrose, lesões e tumores ósseos e o tipo de dano condicionará a escolha do tipo de prótese a implantar pela equipa cirúrgica.

Pessoas com danos na articulação da anca, com dor e interferência com as suas atividades diárias, podem candidatar-se à cirurgia de substituição da anca.

Ao substituir a articulação da anca do doente por uma articulação artificial, esta cirurgia permite um alívio da dor, um aumento do movimento e um regresso à prática das atividades diárias.

A cirurgia de substituição da anca pode ser condicionada por outras patologias coexistentes no paciente.

Aplicam-se quando o joelho sofre danos graves, provocados por artrite ou lesão, sendo difícil realizar atividades simples, tais como caminhar ou subir escadas, ou mesmo sentir dor quando se está em posição sentada ou deitado.
Ao reconstruir as superfícies danificadas e gastas do joelho, a cirurgia de substituição total do joelho pode aliviar a dor e permitir retomar as atividades habituais.

Se a medicação, perda de peso, a alteração do seu nível de atividade e a utilização de apoio à deambulação deixaram de ser úteis, poderá considerar a realização de uma cirurgia de substituição total do joelho.

Quando a sua mão tem alguma deformidade, a cirurgia pode melhorar a sua condição. Este tipo de cirurgia muito especializada pode tratar doenças que causam dor e prejudicam a força, a função e a flexibilidade de seu punho e dedos. A cirurgia visa restaurar, o mais próximo do normal, a função dos dedos e de mãos feridas por trauma ou corrigir anomalias presentes no momento do nascimento. 

As deformidades e doenças dos pés causam desconforto e dor dentro dos sapatos, afetando milhares de pessoas durante milhões de horas diárias. Constituem também um importante problema estético, que não deve ser menosprezado ou menorizado, relativamente a outras partes do corpo, apenas por estas se encontrarem habitualmente mais expostas. Determinadas ocasiões sociais, principalmente relacionadas com o desporto ou lazer, ou até da intimidade, implicam a nudez dos pés e a existência destas doenças ou deformidades podem condicionar o comportamento e a total realização da pessoa.

Os fatores que condicionam o aparecimento destas deformidades são principalmente a hereditariedade e o uso de sapatos de salto alto e bico estreito e, menos frequentemente, as doenças degenerativas e alterações neurológicas.

Através da cirurgia percutânea do pé, mini-invasiva, é possível tratar a maioria das patologias, tais como:

  • Joanetes;
  • Hallux Rigidus (Doença degenerativa da articulação metatarso-falângica do 1º dedo do pé);
  • Metatarsalgia;
  • Doença de Morton;
  • Deformidades dos dedos;
  • Fasceíte plantar e esporão do calcâneo.

A Tenossinovite estenosante ou “dedo em gatilho” é uma das causas mais comuns de dor e impotência funcional na mão humana.

Há diversas condições que se podem relacionar com o dedo em gatilho, entre elas a artrite reumatoide, diabetes mellitus, gota, pacientes hemodialisados, tumores do tendão ou da bainha, que configuram os casos de dedos em gatilho secundários.

Normalmente existe uma inflamação dos tendões, o que provoca uma dificuldade em abrir o dedo. À medida que a doença progride, o bloqueio do dedo na posição de flexão piora, até ao ponto de gerar incapacidade funcional para preensão de objetos.

A cirurgia de coluna vertebral é um procedimento delicado, sendo indicado raramente, em cerca de 5 por cento dos casos. As principais indicações cirúrgicas são: dor intratável com o tratamento conservador, degradação neurológica durante o tratamento ou falha do tratamento conservador em manter as crises controladas, permitindo ao paciente ter qualidade de vida, existindo ainda, outras indicações em casos específicos e graves.
 
Existem várias patologias que podem requerer a cirurgia da coluna lombar como parte do tratamento, nomeadamente, procedimentos feitos por doenças discais, fraturas ou instabilidade ligamentar. Estas condições podem provocar compressões nervosas que podem ser altamente limitativas para o paciente. 

A síndrome do túnel cárpico surge quando há compressão do nervo mediano. As causas desta situação podem ser ósseas, ligamentares ou tendinosas.

O paciente poderá sofrer de dores, dificuldade em mover as mãos e em pegar em objetos e de incapacidade profissional ou mesmo doméstica.

Esta cirurgia está indicada quando há compressão do nervo mediano.